LGPD

Você conhece a LGPD?

LGPD é a sigla para Lei nº 13.709 de 2018, conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que traz para você, titular de dados, direitos e maior controle seus próprios dados, e para as organizações, inclusive o setor público, responsabilidades no uso desses dados.

  • Sobre a Lei
  • Porque a Lei foi criada
  • Abrangência e validade
  • Objetivos

A LGPD representa um grande marco regulatório na temática da proteção de dados pessoais no Brasil, definindo regras sobre o uso de dados pessoais e, com isso, permitindo maior transparência nas relações daí decorrentes.

Suas regras são aplicáveis a todas as pessoas jurídicas, de direito público ou privado, que realizem tratamento de dados pessoais no território nacional.

É um direito seu saber o que é feito com seus dados pessoais e de que forma você pode exercer esse direito, obtendo informações, por exemplo, sobre como esses dados são coletados, armazenados, se são compartilhados, eliminados e quais medidas de segurança são utilizadas para preservar seus dados.

Todos os seus direitos são informados na aba Conheça seus direitos.

A LGPD tem inspiração na Lei Europeia – GDPR/RGPD (General Data Protection Regulation, ou Regulamento Geral de Proteção de Dados, que se encontra em vigor desde 2018.

Apesar da inspiração, a nossa lei possui suas próprias, sendo os seus principais temas:

  • A abrangência da Lei
  • Princípios e Fundamentos
  • Aplicabilidade e Exceções
  • Principais conceitos
  • Bases Legais que permitem o tratamento dos dados pessoais
  • Os direitos do Titular
  • As obrigações das organizações
  • Como funciona a transferência internacional de dados
  • Os procedimentos de segurança
  • O papel da ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados)
  • Sanções (penas ou multas) nas hipóteses de descumprimento da lei

Quer saber mais? Acesse e leia a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais na íntegra!

Vivemos na era da informação, na sociedade da informação, e, nesse cenário, a informação é algo de muito valor, de valor econômico. A realidade social sofreu profundas mudanças, ao ponto de hoje se afirmar que a informação vale mais do que petróleo.

E a razão para que a informação possua tanto valor consiste no aspecto de que quanto mais se conhece uma pessoa, mais serão sabidos os seus gostos, as suas aptidões, o seu perfil e, com isso, será possível a elaboração e oferta de um produto ou serviço completamente customizado, exclusivo.

O ambiente digital é parte de nossas rotinas. Diariamente um volume maior de pessoas acessa a internet, baixando apps em seus smartphones, realizando compras, pesquisas, e sempre fornecendo seus dados pessoais, sem que houvesse um controle de quais organizações possuem acesso e usam esses dados pessoais.

A segurança no uso de dados pessoais passou a ganhar relevância nesse contexto, inclusive porque os casos de incidentes envolvendo dados pessoais tornaram-se cada vez mais frequentes e graves, além do prejuízo de ordem financeira que passou a ser sofrido pelas organizações e pelas pessoas.

No Brasil, antes mesmo da LGPD, já existiam leis setoriais tratando da temática da proteção de dados, como é o caso da própria Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor, a Lei do Cadastro Positivo, a Lei do Habeas Data e o Marco Civil da Internet.

A Lei Geral de Proteção de Dados vem para trazer regras que se aplicam de modo geral a todas as organizações e inclusive pessoas físicas, se tornando uma aliada para a proteção dos seus dados pessoais.

Ela foi necessária também para que o Brasil fosse reconhecido no exterior como um território seguro para o tratamento de dados de pessoas de qualquer lugar do mundo, assegurando a continuidade de relações comerciais com outros países.

A quem se aplica a LGPD?

Como já dito, à pessoa natural ou jurídica, de direito público ou privado, que realize o tratamento de dados pessoais, independentemente do meio (se físico ou digital), do país de sua sede (a empresa pode ser estrangeira e se submeter à lei brasileira) ou do país onde estejam localizados os dados (os dados podem estar em outro país), desde que:

I - a operação de tratamento seja realizada no Brasil;

II - a atividade de tratamento tenha por objetivo a oferta ou o fornecimento de bens ou serviços ou o tratamento de dados de indivíduos localizados no território nacional; e, por fim,

III - os dados pessoais objeto do tratamento tenham sido coletados no território nacional.

O seu âmbito de aplicabilidade encontra-se previsto no artigo 3º.

Obviamente, a lei comporta exceções, ou seja, situações em que a operação de tratamento não estará sujeita às regras ali previstas, como exemplo, nos casos de tratamento de dados por pessoa natural para fins exclusivamente particulares e não econômicos, quando o tratamento tenha finalidade jornalística e artística, segurança pública e defesa nacional. Todas as exceções têm sua disciplina no artigo 4º da LGPD.

A disciplina da Lei Geral de Proteção de Dados tem o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural do titular de dados.

Além disso, a LGPD objetiva estabelecer regras transparentes para o tratamento desses dados, definindo padrões a serem cumpridos por todos os agentes que fazem a coleta e o uso dos dados pessoais, permitindo o fortalecimento da relação de confiança entre titulares e agentes de tratamento.

É da natureza da lei, constando entre os fundamentos da disciplina da proteção de dados, o desenvolvimento econômico e tecnológico e a inovação, a livre iniciativa, a livre concorrência e a defesa do consumidor.

O volume de dados produzidos e processados pelas mais variadas organizações, tornou indispensável essa regulamentação legislativa, trazendo maior segurança a você, titular de dados.

A proteção de dados como forma de garantir a sua privacidade.

O que muda com a LGPD?

Com a vigência da LGPD um dos principais impactos é que o controle dos dados pessoais passa a ser do seu titular. A Lei define expressamente que é da pessoa natural a titularidade sobre seus dados.

  • O que muda para as organizações
  • O que muda para você?

Sem dúvidas a LGPD transformou a dinâmica da relação entre as empresas e os titulares de dados.

Absolutamente toda situação que envolva o uso de dados pessoais, desde a simples coleta para fins de lista de contato, até mesmo a coleta realizada para a finalidade de traçar o perfil do consumidor, condições financeiras e de crédito, execução de contrato e tantas outras situações, necessariamente precisará estar de acordo com o que determina essa lei.

E as diretrizes da LGPD permitem maior transparência e segurança em toda relação de tratamento de dados pessoais, em especial, no seu compartilhamento.

A boa fé é premissa básica no tratamento de dados pessoais, sendo obrigação de todas as organizações informarem aos titulares as ações que realizam com seus dados e estabelecer um canal, simples e gratuito, para que os mesmos possam exercer os seus direitos.

O compartilhamento de dados pessoais de clientes e colaboradores entre empresas somente poderá acontecer nos casos em que houver um fundamento legal.

Não apenas as regras de boas práticas e segurança estabelecidas pela LGPD devem ser observadas e cumpridas pelas organizações, mas, antes de tudo, os princípios definidos na LGPD devem nortear todas as condutas das organizações que envolvam os dados pessoais.

Portanto, as atividades de tratamento de dados pessoais deverão observar a boa-fé e os seguintes princípios:

1 - finalidade: realização do tratamento para propósitos legítimos, específicos, explícitos e informados ao titular, sem possibilidade de tratamento posterior de forma incompatível com essas finalidades;

2 - adequação: compatibilidade do tratamento com as finalidades informadas ao titular, de acordo com o contexto do tratamento;

3 - necessidade: limitação do tratamento ao mínimo necessário para a realização de suas finalidades, com abrangência dos dados pertinentes, proporcionais e não excessivos em relação às finalidades do tratamento de dados;

4 - livre acesso: garantia, aos titulares, de consulta facilitada e gratuita sobre a forma e a duração do tratamento, bem como sobre a integralidade de seus dados pessoais;

5 - qualidade dos dados: garantia, aos titulares, de exatidão, clareza, relevância e atualização dos dados, de acordo com a necessidade e para o cumprimento da finalidade de seu tratamento;

6 - transparência: garantia, aos titulares, de informações claras, precisas e facilmente acessíveis sobre a realização do tratamento e os respectivos agentes de tratamento, observados os segredos comercial e industrial;

7 - segurança: utilização de medidas técnicas e administrativas aptas a proteger os dados pessoais de acessos não autorizados e de situações acidentais ou ilícitas de destruição, perda, alteração, comunicação ou difusão;

8 - prevenção: adoção de medidas para prevenir a ocorrência de danos em virtude do tratamento de dados pessoais;

9 - não discriminação: impossibilidade de realização do tratamento para fins discriminatórios ilícitos ou abusivos;

10 - responsabilização e prestação de contas: demonstração, pelo agente, da adoção de medidas eficazes e capazes de comprovar a observância e o cumprimento das normas de proteção de dados pessoais e, inclusive, da eficácia dessas medidas.

Considerando que a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais regulamenta a maneira como as organizações devem tratar os dados pessoais das pessoas naturais, é fundamental que você, enquanto titular de dados, conheça o que diz a Lei a respeito de seus direitos e do controle que você passa a ter sobre seus dados.

O controle sobre os seus dados é o maior impacto que a Lei traz ao titular.

Primeiro porque a LGPD garante que você tenha acesso facilitado às informações sobre o tratamento de seus dados. Com isso, você pode requerer o acesso a todos os seus dados que estão sendo tratados por qualquer organização, de caráter público ou privado.

Para as organizações é observância do princípio de livre acesso, e que se trata também de direito do titular.

Além disso, é preciso que você, titular de dados, saiba que sem o seu consentimento nenhuma empresa pode coletar, tratar, ou transferir seus dados para terceiros – exceto nas hipóteses em que exista uma previsão legal na própria LGPD.

Por isso, é preciso que exista transparência na relação entre empresas e titulares, que deverão ser sempre informados sobre as hipóteses em que seus dados são tratados, para qual finalidade, as medidas de segurança adotadas e quais as entidades com quem são compartilhados seus dados.

A LGPD vem para garantir ao titular de dados:

  • A preservação de sua privacidade
  • Maior segurança no uso de seus dados, evitando exposição e acessos indevidos
  • Poder, autonomia e controle sobre seus dados

Leia em  “Conheça seus direitos” aqui em nosso site, onde são explicados todos os direitos que a LGPD lhe assegura.

Conheça seus direitos

A LGPD estabelece direitos a você, titular de dados, para o fim de permitir o controle sobre os seus dados.

As atividades realizadas por nós, do 1º Ofício de registro de Imóveis de Recife-PE, sempre estiveram fundamentadas em medidas de segurança, com o objetivo de resguardar todas as informações e dados pessoais que se encontram sob  nossa responsabilidade.

A segurança e transparência já são marca deste Cartório.

A partir da vigência da LGPD esse compromisso se foritificou e então, estamos fazendo de nosso canal através deste site, uma maneira de trazer ao conhecimento de nossos clientes, parceiros e colaboradores todas as mudanças, conceitos, responsabilidades, obrigações e princípios que devem ser seguidos em nossas atividades.

A definição de direitos ao titular de dados é um marco que iremos seguir para estreitarmos com segurança e confiança, os vínculos com todos que fazem parte de nossa história. 

  • Quais são os seus direitos?
  • Principais conceitos

1 - Confirmação da existência de tratamento.

2 - Acesso aos dados.

3  - Correção de dados incompletos, inexatos ou desatualizados.

4 - Anonimização, bloqueio ou eliminação de dados desnecessários, excessivos ou tratados em desconformidade com o disposto nesta Lei.

5 - Portabilidade dos dados a outro fornecedor de serviço ou produto, mediante requisição expressa, de acordo com a regulamentação da autoridade nacional, observados os segredos comercial e industrial

6 - Eliminação dos dados pessoais tratados com o consentimento do titular, exceto nas hipóteses previstas no art. 16 desta Lei.

7 - Informação das entidades públicas e privadas com as quais o controlador realizou uso compartilhado de dados.

8 - Informação sobre a possibilidade de não fornecer consentimento e sobre as consequências da negativa.

9 - Revogação do consentimento, nos termos do § 5º do art. 8º desta Lei.

10 - Peticionar em relação aos seus dados contra o controlador perante a autoridade nacional e organismos de defesa do consumidor.

11- Opor-se a tratamento realizado com fundamento em uma das hipóteses de dispensa de consentimento, em caso de descumprimento ao disposto nesta Lei, mediante requerimento expresso.

12 - solicitar a revisão de decisões tomadas unicamente com base em tratamento automatizado de dados pessoais que afetem seus interesses, incluídas as decisões destinadas a definir o seu perfil pessoal, profissional, de consumo e de crédito ou os aspectos de sua personalidade.

1 - Existência de tratamento

É direito do titular  confirmar a existência de tratamento  de seus dados pessoais  por entidades públicas ou privadas.

Ou seja, é obrigação deste 1º Ofício de Registro de Imóveis possuir meios para que você saiba se nós temos suas informações pessoais em algum de nossos bancos de dados ou não.

Faz parte do nosso compromisso com a transparência sobre o uso dos seus dados pessoais e deverá observar as formalidades previstas na LGPD e no Provimento nº 08 de 2021 da Corregedoria Geral de Justiça do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco, com a identificação do titular.

2 - Acesso

 Você tem o direito de acessar todos os dados pessoais que são mantidos com conosco e também saber como eles são utilizados por nós, se são compartilhados e com quem.

Iremos gerar um relatório personalizado com essas informações!

Quer acessar os dados que temos sobre você? Entre em contato: edados@1rgirecife.com.br.

3 - Atualização

Após confirmar se temos seus dados pessoais em algum de nossos bancos de dados, e quais são esses dados, você também pode solicitar a atualização, co correção ou modificação de algum dado.

Esse direito poderá ser exercido nos casos em que seus dados estejam incompletos, incorretos ou desatualizados.

Quer atualizar os dados que temos sobre você? Entre em contato: edados@1rgirecife.com.br.

4 - Eliminação, bloqueio ou anonimização de dados

 A eliminação é a exclusão definitiva das suas informações de nossos bancos de dados.

Já o bloqueio é uma suspensão temporária para o tratamento dos dados pessoais.

A anonimização é um processo que faz com que esses dados não sejam mais vinculados a um titular. Por meio deste processo, não será mais possível identificar se determinado dado pessoal se relaciona especificamente a um titular de dados. Não se pode reverter um processo de anonimização.

Todos estes pedidos serão analisados pelo nosso Encarregado de Dados para que possa ser verificada a possibilidade de atendimento, ou, se o 1º Ofício de registro de Imóveis de Recife-PE possui base legal para manter tais dados em seus sistemas. De tudo você será comunicado formalmente.

Entre em contato: edados@1rgirecife.com.br.

Sobre seus dados no Cartório

A LGPD descreve expressamente em quais situações organizações públicas ou privadas, e até mesmo outras pessoas podem realizar o tratamento de seus dados pessoais.

Entenda todos os principais conceitos e como agimos com seus dados pessoais.

  • O que é tratamento de dados pessoais
  • Quais principais agentes envolvidos no tratamento de dados
  • Por que tratamos seus dados?
  • Quais dados podem ser mantidos pelo Cartório?
  • Por quanto tempo podemos manter seus dados?
  • Compartilhamos seus dados?
  • O que fazemos para manter a segurança de seus dados?

O conceito de “tratamento” defendido pela lei é amplo e não taxativo, e inclui toda operação realizada com seus dados pessoais, como as que se referem a coleta, produção, recepção, classificação, utilização, acesso, reprodução, transmissão, distribuição, processamento, arquivamento, armazenamento, eliminação, avaliação ou controle da informação, modificação, comunicação, transferência, difusão ou extração (artigo 5º, inciso X).

Você tem o direito de saber como seus dados estão sendo tratados. Toda empresa deve garantir que você tenha acesso, de forma transparente, às informações sobre a utilização dos seus dados internamente. Conheça os seus direitos.

No caso da utilização de dados de crianças e adolescentes, a LGPD estabelece que isso só poderá acontecer quando houver consentimento específico de um responsável legal, e visando seu melhor interesse, de forma igualmente transparente e sem abusar da boa-fé.

Ficou alguma dúvida? Veja o que diz a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

Os principais personagens envolvidos no tratamento de dados são: o titular, o operador, o controlador, o encarregado e a ANPD.

Que tal entender um pouco mais sobre cada um deles?

  • Titular: É o “dono” dos dados. Ou seja, a quem os dados se referem e identificam.
  • Controlador: É o responsável pelas decisões referentes ao tratamento de dados pessoais, podendo ser uma pessoa física ou jurídica.
  • Operador: Quem realiza o tratamento de dados em nome do controlador. Pode ser tanto pessoa física quanto jurídica.
  • Encarregado de Dados: Pessoa física ou jurídica, nomeada pelo controlador, que atua como canal de comunicação entre o titular, controlador e a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais).
  • ANPD: Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais, é a entidade que tem a função de regulamentar, fiscalizar, interpretar, aplicar as penalidades administrativas previstas na LGPD.

Ficou alguma dúvida? Veja o que diz a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

O tratamento de dados pessoais é realizado pelo 1º Ofício de Registro de Imóveis de Recife-PE para o atendimento de sua finalidade pública, na persecução do interesse público, com o objetivo de executar as suas competências legais, no cumprimento de suas atribuições legais.

Em tais situações, a atuação deste 1º Ofício de Registro de Imóveis de Recife-PE é equiparada a de pessoas jurídicas de direito público.

É o que estabelece o artigo 23, §§ 4º e 5º da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

Os dados pessoais são coletados e utilizados exclusivamente para atender a finalidade da prática de atos de registro, sendo colhidos e utilizados apenas os dados pessoais previstos na Lei de Registros, leis especiais e outros Provimentos Correcionais, a exemplo do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Pernambuco.

Entre esses dados pessoais, temos os dados de identificação do titular, como nome, nacionalidade, estado civil, profissão, CPF, cédula de identidade e endereço.

A utilização dos dados pessoais é restrita aos colaboradores, Tabeliã e substitutas,  que foram submetidos a treinamentos de conscientização e conhecimento das diretrizes da LGPD.

Além disso, todos os dados pessoais utilizados são arquivados em livros próprios da Tabeliã que são submetidos a arquivo, sendo também armazenados em sistema informatizado seguro, ambos com controle de acesso, visando a garantia da confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações e dados pessoais.

O tempo que mantemos seus dados, objeto de atos de registro privativos do Cartório é perene, isso porque é obrigação legal deste 1º Ofício de Registro de Imóveis manter todos os atos em arquivos, físico e digital, de maneira segura, conforme definido na Lei de Cartórios e na Lei de Registros Públicos.  

Outros dados pessoais, obtidos para o fim de contato, por exemplo, o tempo de armazenamento varia de acordo com diretrizes legais e regulatórias para sua manutenção bem como a necessidade de sua utilização.

Nos casos em que o prazo para manutenção de seus dados chega ao fim, ou quando deixamos de precisar deles, não precisamos mais utilizá-los para a finalidade específica almejada, nós os eliminamos ou realizamos a anonimização desses dados, impossibilitando, assim, a identificação de seu titular.

É importante que você saiba que nós podemos compartilhar seus dados pessoais em alguns casos específicos, desde que isso seja feito de acordo com as regulamentações e leis.

Contudo, mesmo nos casos de compartilhamento, procuramos assegurar que seja mantida a proteção de seus dados.

  • Construímos políticas rigorosas para permitir o adequado tratamento dos seus dados internamente, e exigimos o mesmo quando precisamos compartilhar informações e dados constantes de nossa base.
  • Todo compartilhamento é justificado por uma base legal, e é feito dentro dos limites e propósitos da atividade de caráter público deste Cartório.
  • Todos os nossos agentes de tratamento dados são notificados e obrigam-se a cumprir com todas as responsabilidades previstas na LGPD.

Temos ciência de que é nossa responsabilidade, garantir a segurança das informações e dados pessoais constantes em nossa base de dados, por isso somos transparentes com todos.

Quer saber se seus dados são compartilhados e com quem? Entre em contato: edados@1rgirecife.com.br.

O 1º Ofício de Registro de Imóveis de Recife, por força da Lei nº 8935/1994, conhecida como Lei dos Cartórios, já tem incorporado em suas rotinas,  práticas voltadas à segurança das informações e dados que lhe são confiados no exercício de suas atribuições legais.

A vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, trouxe novas diretrizes para o uso de dados pessoais,  voltadas para a garantia dos direitos fundamentais do titular de  liberdade, privacidade e livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

É a proteção de dados pessoais como garantia da privacidade do titular.

Nesse ponto, nasce um conflito com o caráter público das atividades dos Cartórios, inclusive porque terceiros podem solicitar e obter certidões de atos/registros.

Para equilibrar essa situação, se impôs um processo de adequação deste Cartório à LGPD, com definição de programa de governança de dados, políticas internas, aprimoramento no controle de fluxo de dados, mecanismos para atender os direitos do titular, indicação de um Encarregado de Dados, treinamento e conscientização das equipes e outros pontos.

Os dados pessoais que estão sob nossa responsabilidade são mantidos em ambiente seguro e controlado através de processos e tecnologias, com camadas específicas, incluindo, mas não se limitando, ao uso de:

  • Firewall de rede, dispositivo de segurança de rede que monitora o tráfego que entra e sai da nossa rede interna.
  • Controle de acesso ao banco de dados, protegendo contra o acesso não autorizado.
  • Duplo fator de autenticação para acesso remoto.
  • Proxy, solução que conecta os computadores de uma rede interna com o ambiente externo, realizando um filtro de conteúdo.
  • Antispam, para monitorar e bloquear ataques via e-mail.
  • Antivírus, que detecta e remove softwares maliciosos no ambiente de rede.
  • DLP (Data Loss Prevention), utilizado para monitorar e prevenir a perda de dados.

Nosso compromisso é com a conformidade legal, primando pela segurança e privacidade, entregando excelência através de nossos serviços.

Aviso de Uso e Privacidade

É importante que você conheça os principais aspectos de nossa Política de Privacidade para que entenda, em relação aos seus dados,  como, porque, de que modo, com qual finalidade eles são tratados, por quanto tempo são armazenados e quais medidas de segurança são adotadas, dentro outros.

Seus dados pessoais devem ser tratados com respeito e confidencialidade. Esse já é o nosso compromisso.

  • Por que a Política de Privacidade existe?
  • Dados que coletamos
  • Finalidade de uso
  • Armazenamento e segurança
  • Sobre o uso de cookies

A Política de Privacidade é o documento que demonstra ao titular todas as informações a despeito das medidas que são adotadas pelo 1º Ofício de Registro de Imóveis de Recife-PE para proteção de dados de todos os titulares.

 

É, por tais razões, que a Política de Privacidade é um documento essencial para tornar transparente a relação com clientes e usuários.

Conheça nossa Política de Privacidade.

Nós apenas coletamos seus dados quando eles são fornecidos voluntariamente por você, para prática de atos de registro de competência legal deste Cartório ou em consultas justificadas por base legal.

A coleta e tratamento de tais dados sempre está baseada no que a Lei Geral de Proteção de Dados disciplina.

Entre esses dados pessoais, temos os dados de identificação do titular, como nome, nacionalidade, estado civil, profissão, CPF, cédula de identidade e endereço.

Nós não coletamos ou mantemos dados sobre você que não sejam estritamente necessários para o atendimento de finalidades legítimas.

Os dados pessoais são coletados e utilizados exclusivamente para atender a finalidade da prática de atos de registro, sendo colhidos e utilizados apenas os dados pessoais previstos na Lei de Registros, leis especiais e outros Provimentos Correcionais, a exemplo do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Pernambuco.

Além disso, eventualmente poderemos estar utilizando seus dados pessoais para outras atividades, sem com base legal, relacionadas a:

  • Realizar estudos, pesquisas e levantamentos pertinentes ao uso dos nossos serviços (para cumprimento de obrigação legal)
  • Cumprir ordem judicial, ou nos resguardar de direitos e obrigações relacionadas ao uso de nossos serviços

E evitar fraudes e riscos.

Todos os dados coletados e de alguma forma tratados por este 1º Ofício de Registro Geral de Imóveis de recife-PE são mantidos em ambiente seguro e controlado.

É importante que você saiba que os seus dados podem ser armazenados em nossos servidores próprios ou de terceiros e que sempre cuidamos para que estejam protegidos com a ajuda das tecnologias mais eficientes disponíveis no mercado.

Veja tudo que explicamos em  O que fazemos para manter a segurança de seus dados.

Certamente você já recebeu algum aviso sobre o uso de cookies enquanto navega em algum site.

Você sabe o que são cookies?

Em resumo, cookies são arquivos criados por sites, enviados para o seu navegador e salvos no seu computador.

Nós também usamos cookies para:

  • Facilitar a sua navegação, simplificando o acesso às informações que você procura
  • Ocultar mensagens que já tenham sido exibidas

Não coletamos nenhum dado do seu disco rígido ou e-mail e não temos acesso às informações coletadas por cookies em sites de terceiros.

O seu consentimento é fundamental para que a coleta e a utilização dos seus dados de navegação possam acontecer em conformidade com a LGPD.

Por essa razão, o aviso de cookies deve existir para que você saiba que suas informações podem estar sendo gravadas - e os cookies servem exatamente para essa “gravação”.

Você não quer que cookies sejam utilizados durante sua navegação?

É só ativar esse recurso diretamente nas configurações do seu navegador, ou navegar através de uma aba anônima.

E se vc simplesmente bloquear o uso de cookies?

Você poderá estar abrindo mão de ter uma experiência personalizada em qualquer site.

O tempo que esses arquivos ficam armazenados em nosso site é de no máximo 15 dias.

O uso de cookies está previsto em nossa Política de Privacidade.

E o mais importante é que você saiba que o controle continua sendo seu!